terça-feira, 30 de abril de 2013

O Estilete Assassino, Ken Follett - Opinião


Opinião:


Esta foi a minha primeira experiência (sem sentido bíblico) com Ken Follett.

Gostei da sua escrita. É rica, pormenorizada, descritiva e escorreita.
 É muito agradável seguir este enredo, com episódios de uma certa violência mas sempre apropriados e bem enquadrados, embora por vezes se tornasse um pouco previsível.

Dado que se trata de um romance com um contexto histórico talvez o próprio enquadramento limitasse as opções do autor quanto ao que poderia utilizar como argumentos enriquecedores do enredo.

As personagens são bem caracterizadas e são representativas de certos estereótipos que não surpreendem muito.

Existe um conjunto de felizes coincidências que conjugam as duas narrativas aparentemente independentes e que acabam por culminar num final trágico mas pouco surpreendente.

Se tomarmos a culinária como alternativa comparativa ou metafórica poderemos dizer que o Estilete Assassino é um cozido à portuguesa. Está cheio de coisas deliciosas e diferentes. Todos os ingredientes têm o sabor esperado e, juntos, transformam-se num repasto comestível.
Está bem preparado e cozinhado? Sim, está.
É o melhor cozido à portuguesa que já comi? Não, de todo.

Boas leituras a todos.

12 comentários:

Jojo disse...

Isto é o que chamo uma opinião sem papas na línguas e sem "filtros"!!!
:)
Ainda não experimentei Ken Follet "mais recente" e thriller. Tem optado sempre pela história até porque gosto mais desses períodos mas, tens toda razão ele sabe criar personagens cativantes e "obrigar-nos" a lê-las. Porém, se nos Pilares a Terra achei algumas personagens extraordinárias, no Mundo sem Fim encontrei algum desleixo. Ainda assim, boas leituras!

Beijinhos*

André Nuno disse...

Olá, Jojo. :)
Para quem não se dê bem com a ausência de filtro posso sempre argumentar que lhes dei a hipótese de se ficarem pela primeira opinião. :)

Olha, foi o que saiu!
Obrigado e boas leituras!!

Mónica Durão disse...

Eu fiquei parada no "está a chover como o caralho" e ainda não me parei de rir... Muito bom pá, na descontra :D

André Nuno disse...

Mónica,
não pares aí porque ainda estava só a aquecer.... LOL
Ler também é isto.
E garanto-te que opiniões destas não abundam na blogosfera. Ninguém me pode acusar de seguir o rebanho ou de que no meu cantinho encontra o mesmo de que em qualquer lado.
Podem não gostar e até estou à espera de críticas. Mas digo desde já que não me importo.
Como disse à Jojo, até me dei ao trabalho de fazer duas opiniões e deixar cada um escolher a que mais gostar. Dá para todos os gostos... ;)
Obrigado pela visita!
Boas leituras.

EfeitoCris disse...

oh pá e atão os spoilers, pá!?
;)

André Nuno disse...

Cris,
olha, olha, olha... Queres ver que não conseguias parar a tempo de ler se não quisesses? :))))

EfeitoCris disse...

diz lá... quem n quer spoilers q n venha ler criticas!? LOL

Olha e o Sopro do Mal? que tal? tb tenho curiosidade.
Depois se quiseres uma troca, posso propor-te outro policial por esse, talvez um John Verdan ou Patricia Cronnwell ;)

tb me vou dedicar às criticas

André Nuno disse...

"Por minha culpa, minha tão grande culpa..."
Tens razão. Foi uma vez sem exemplo. Ou então não. :)

O Sopro do Mal ainda está muito no início, ainda não deu para formar opinião.

Trocas? Não sei. Se não gostar do livro posso trocar. LOLOLOL :)

Vou dormir porque amanhã de manhã trabalho....

Bom feriado!

Patrícia disse...

Bem, isto é que é escrever "do fundo da alma". Acho muito bem que dês a tua opinião sincera, mas estou a com a Cris, spoilers até mais não. E não, não consegui parar de ler porque me estava a rir que nem uma perdida.
Mas não faz mal que os spoilers não me irritam.
Olha, eu adoro Ken Follet, mas só na parte dos romances históricos, nos policiais acho que é fraquinho e como tu dizes, acho que recorre demasiado a todos os clichés.
bjs

André Nuno disse...

Olá Patrícia. :)
Pois realmente abusei dos spoilers... Normalmente não gosto de os ler mas aqui teve mesmo de ser. Senti que se não "abrisse o jogo" não conseguiria ilustrar de forma tão cabal o modo simplista e previsível que o autor escolhe para resolver o enredo.
Muito cedo adivinhei o final do livro e quando este se concretizou fiquei desapontado. Acontece, porém, que gostei da escrita do autor. Fiquei dividido quanto à minha apreciação.
Fiquei com o desejo de ler o autor noutro registo porque me pareceu que poderia ser diferente e as tuas palavras vão de encontro a essa ideia.
Obrigado pela visita.
Boas leituras!

nuno chaves disse...

Agora fiquei sem saber o que pensar! :D
De Follett apenas li "Os pilares da terra" que recomendo sem reservas.
O seus policiais e livros de espionagem, nunca os li, mas tenho ouvido dizer que são muito bons dentro do seu género, particularmente "O homem de S. Petersburgo.
Quero voltar a Follett este ano com a triologia "O Século" que estava dentro do meu desafio para este ano, mas pelo andar da carruagem e porque se tem metido pelo meio outros livros (vindos da Roda dos Livros) talvez o faça apenas no próximo ano, visto que em 2014, sai o último volume da série.

André Nuno disse...

Olá Nuno.
Embora tenha gostado do livro achei-o demasiado previsível e pouco credível. Não mais nenhuma obra de Follett, facto pelo qual admito uma certa limitação quanto à minha opinião.
Tenho lido muito bem e muito mal acerca da escrita de Follett. A última achega que encontrei foi no blogue do Iceman, e ele não ficou nada satisfeito com o que encontrou.. Talvez te possa interessar ler a sua opinião.
Resumindo, não conheço o suficiente da sua escrita para aconselhar ou desaconselhar a sua leitura.
Um abraço.