domingo, 19 de maio de 2013

A Noiva Assassina, James Patterson, Howard Roughan - Opinião


Opinião:

Nora Sinclair tem o dom de acumular fortuna na mesma proporção que colecciona companheiros "acidentalmente falecidos". Todos eles ricos.
Quando Nora descobre as palavras-passe que lhe permitem transferir grandes quantidades de dinheiro das contas dos seus companheiros para a sua própria, estes não tardam a padecer de mortais insuficiências cardíacas.
John O'Hara, agente do FBI, em pouco tempo se vê a braços com Nora e estas enigmáticas mortes.

Partindo destas premissas regadas com suspense, bom-humor, luxúria e alguma loucura encontramos um livro bastante agradável e de leitura rápida. A acção desenrola-se a bom ritmo dividida por capítulos pequenos e intensos, como Patterson nos tem habituado, que permitem que os nossos olhos voem pelas palavras em muito pouco tempo.

Tudo isto, e algo mais, num livro escrito a duas mãos.

Inicialmente fiz uma nota onde se podia ler que a leitura podia ser avaliada em dois planos. O primeiro prendia-se com o interesse que os autores souberam imprimir à narrativa. O segundo plano, um pouco menos positivo, estava ligado a uma crescente falta de credibilidade no que aos crimes e, sobretudo, a sua falta de atenção por parte da polícia dizia respeito.
Com agrado verifiquei que não tardou que o FBI se envolvesse na investigação das mortes que Nora atraía.

Manifestado, finalmente, o conhecimento e interesse por parte das autoridades das circunstâncias que tornavam esta mulher numa Viúva Negra, a componente menos positiva da minha opinião deixou de ter razão de ser, podendo eu apreciar o desenrolar do enredo até a um desenlace mais ou menos previsível mas nem por isso menos apelativo.

Não é, seguramente, do melhor que tenho tido o privilégio de este ano ter lido, todavia, posso dizer que estamos perante um policial comercial agradável, com muitos motivos de interesse, num registo leve e "limpinho".
Após a sua leitura ficou-me a ideia de se tratar de um óptimo livro para se ler numas férias.

Boas leituras a todos.

2 comentários:

Mónica Durão disse...

Hum... parece-me bem... até dá ares de ser um livro "levezinho..." :) Bom Domingo ;)

André Nuno disse...

Olá Mónica.
Sim, de pesado não tem nada. :)
Bom Domingo para ti também.
Obrigado!