quinta-feira, 24 de outubro de 2013

O Impiedoso País das Maravilhas e o Fim do Mundo, Haruki Murakami - Opinião




Haruki Murakami é um criador de mundos. Toma um universo exactamente igual ao que todos vivemos e acrescenta-lhe um ou outro elemento estranho, disfuncional ou impossível. Nesse plano existencial alternativo dá abrigo à vida de pessoas iguais a tantas outras. Iguais a mim ou a quem me lê. Explora os sentimentos, pensamentos e reacções que qualquer pessoa tem mas motivados por circunstâncias extraordinárias.

A escrita de Murakami - e a bela tradução que desde sempre o tem acompanhado - transporta-me para esse mundo em quase tudo igual ao meu e faz-me viver tudo o que os personagens, em tudo iguais a mim, vivenciam de forma intensa e, na maioria das vezes, trágica.

Uma obra deste autor, fazendo fé nas várias que li, nunca tem um final definitivo, fechado. As suas palavras deixam-me num estado de dormência introspectiva que dura bastante para além do final dos seus livros.

O Impiedoso País das Maravilhas e o Fim do Mundo relata duas histórias aparentemente paralelas que nunca chegam a unir-se porque verdadeiramente nunca estiveram separadas, nunca foram duas.

Como em vários, se não todos, dos seus escritos abundam as referências ao mundo da literatura, da música e do cinema. Acompanharam-me as deliciosas descrições da culinária nipónica.
Neste livro, em particular, encontrei um humor que muito apreciei.
O primeiro capítulo é algo do mais extraordinário e divertido que já tive a sorte de ter lido.

Uma vez mais fico prostrado e rendido a este incomparável fazedor de mundos.

Boas leituras a todos.

4 comentários:

nuno chaves disse...

Olá meu amigo, este é um dos autores que de ano para ano, tenho vindo a adiar... de facto de Murakami, apenas li Sputnik meu Amor e foi um livro que me inquietou e desinquietou, mas uma leitura agradável. Todas as opiniões que vou lendo, me indicam que tenho mesmo de pegar de novo num livro deste autor.
Alguma sugestão??

André Nuno disse...

Olá, amigo! :)
Como sabes sou suspeito ao falar de Murakami já que adoro a sua escrita. Essa sensação de inquietação é bastante comum ao ler os seus livros. De todos os que li gostei mais de uns do que de outros mas nenhum me desagradou.
Aconselharia, talvez, A Sul da Fronteira, A Oeste do Sol e ainda Norwegian Wood.
Um abraço!

nuno chaves disse...

Vou seguir a tua deixa e assim que possa pego num dos seus livros.
Um abraço.

Carla Ramos disse...

Não encontro esse livro em lugar nenhum no Brasil. Só achei na FNAC de portugual. Você pode me ajudar? Quero muito ler esse livro...